Eu conheço essa sensação

Mistura de medo e dor

O anjo triste acordou

Ainda tem o pulso acelerado

E sua morbidez… é como se estivesse encravada em minha carne

Ah… como eu peco

Fecho os olhos

Fecho o coração

Porque fácil é morrer, difícil é viver

E se enganam aqueles que acham que não é possível essa coexistência

Cada dia em vão, não é só mais um dia

Representa tantas perdas

Escancara minha fraqueza

Invasão de vergonhas

Volto a me esconder

Se me isolo é por que, por enquanto, desisti de entender

As ondas batem em nossas costas e nos afogam

E eu só rezo por um milagre que nos salve

Por que já tem um tempo que minhas forças foram arrancadas e substituidas pelo conformismo

Sei que não são os dias de maior desespero

Me incorporo ao ninho para passar desapercebida

E que me erre essa falta de sorte

Essa roleta russa que sempre me atinge com decisões erradas

Tudo isso é cansaço

De uma alma que já rasteja de tanto perder vitalidade

Nada me ilude

E já não sinto os cortes do meu pessimismo afiado

No momento é apenas um passo

Admitir que nenhum esforço é suficiente

Que a vida não quer seu bem se você não estiver disposto a vender sua alma

Já não espero

Tão pouco aceito

Apenas permito ser violada, violentada

E é por isso que ele acordou

Por que biologicamente algo quer que eu sobreviva

E ao invés de pagar por meus caprichos, é a vez dele se impor

Enfiando minha cara no chão

Ainda me questiono quantas vezes terei que cair

Ou se algum dia cheguei a levantar

Já me falta energia

Por enquanto, me preocuparei em respirar

 

Anúncios

Faz horas que estou aqui

Faz dias que estou aqui

Saudade de quando não estive

Naqueles poucos segundos que soube o que é não sentir culpa

Cada dia me desgosto mais, choro mais, engordo mais

Numa redundância vergonhosa

Podem me julgar, dizer que eu falta de vontade… só eu sei, ou melhor, nem eu sei o que existe aqui dentro

Por isso amo a solidão

Nela eu dependo só de mim

Cuido só de mim

Respondo só a mim

Sinto muito se meu cheiro não te agrada

Se tenho que me esconder pois vc não me aceita como sou

A culpa é só sua

Se eu fosse livre, me veria sorrir e tentar ser agradável

De todas as palavras que pensei, poucas fazer sentido

Se me querer, me aceites

Nunca peças que eu mude

Me deixe dançar no mercado

Fingir que sou famosa

Dormir no último minuto

Me deixe falar essas palavras sem nexo

Não tente me racionalizar

Meu peito explode

E eu tento ter coragem

E toda vez que imagino a cena, a única coisa que não muda são meus berros te acusando

Eu sei que estou errada

Mas não quero mudar

Isso continua,,,

Apenas não suporto mais um minutos tentando ser o que não sou

Vivo presa em dilemas

Se faço é porque faço

Se não faço, deveria fazer

Não do meu jeito, diferente

Do jeito certo

Do seu certo

E a minha vida?

Meus vinte e muitos só existem para lembrar do fracasso

De ser do contra

De não ser tão esforçada

De não ser tão bonita

De não ter sucesso

Não me esforço para ter foco

Estou embriagada de medo e ressentimento

Esqueço de esconder meu lado mal

Esqueço que não posso ser menos que perfeita

Mais dias se passam

E eu continuo patética

Não deixam que eu amadureça

E eu vejo a ansiedade subindo pelas minhas pernas

Hoje quase chorei

Porque estou muito longe de poder viver em paz

O tempo me engole e não dá tregua

Eu sei que poderia fazer mais, mas simplesmente não faço

Eu não vou atrás

Eu não fecho a boca

Eu não penso

Eu não escrevo

Eu não analiso

Só sei me culpar e esquecer

Quero cair no mundo

Aceitar que serei pra sempre falsa

Que irei a lugares e direi coisas pra que os outros acreditem que sua felicidade é a certa

A minha é asquerosa

Depende da madrugada

De uma garrafa de vodka

Alguns maços de cigarro

Da minha deteriorização

Das minhas verdades mais sujas

Depende da imagem que tenho de mim mesma, a verdade de mim mesma

Eu não creio que um dia sairei disso

Eu quero viver o lado C

Quero que se espantem e não possam fazer nada, porque a vida é minha, eu me banco, eu não dependo de vocês

A verdade… que me diz que estou tão longe

Hoje estou sem forças para lutar

Eu não quero ser a bonitinha que tem idéias inovadoras e ganha prêmios por grandes descobertas

Eu quero me isolar no meu mundo

E ser feliz assim

Sem que vc me diga que estou errada

Meu saco está muito cheio

Deveria usa-lo como impulso

Vou tentar ser bem vaca

Ser tão perfeita na sua frente

E tão suja nas suas costas

Eu já vivo uma mentira

Agora ela será planejada

Não diga que não me conhece

Eu já me afastei uma vez

E tudo indica que farei novamente

Me aguarde

Em breve não estarei mais aqui

Estou prestes a me entregar

Me falta o ar

É como se eu não coubesse dentro de mim

Não consigo definir o que me falta, nem o que me sobra

Fico perdidas entre lembranças do que foi e da esperança do que será

Preciso me drogar

Preciso de um antidepressivo

Antes que o pânico tome conta de mim

Hoje não quero me sentir tão mal

Por abandonar uma amor que não tem futuro

Por já cultivar um amor que me oferece muito

Sinto sua falta, eu nunca deveria ter ido embora

Mesmo sabendo que nunca voltaria, não chorei

Apenas quando você disse que me amava

Eu sei que você quer meu melhor, e que não pode me dar o melhor que eu mereço

Por isso vou me afastar, mesmo que isso custe minha sanidade

Porque sei que é o certo a fazer

E pela primeira vez tento ser adulta o suficiente para tomar as decisões que são certas

Eu deveria estar feliz

O que quero está acontecendo

Sinto que mereço a oportunidade que recebi

Agora preciso fazer bom uso dela

Deixo algumas lágrimas rolar, já é um alívio

Mas respiro fundo algumas vezes

E continuo

Porque eu sou maior que isso

E eu não vou me entregar agora que o mais dificil já passou

Não, eu não vivi o luto

Tento me convencer de que não é necessário

Não vou ocupar seu lugar com outra pessoa a não ser mim mesma

Não vou me dopar

Não vou fugir

Farei dar certo

Um novo emprego, um novo amor

Até o dia em que você seja apenas lembrança do tempo em que mais precisei ser forte

Não sinto sua falta

Espero que não sinta a minha

Não estarei aqui quando quiser que eu volte

A muito tempo eu parti

Relutei em escrever

Não queria que sentimentos virassem palavras, e consequentemente fatos

Mas mente aos poucos se tornou esse mar de expressões, onde tudo o que vejo se traduz em poesia

O romantismo da melancolia toma posse dos meus atos

Naquela busca desesperada por um alívio que não planeja voltar

Me pego controlando a respiração

Agora que sei, digo ao meu corpo que o pânico não é a solução

Então preencho sua ausência com tentativas de criar um versão melhor de mim

Para o meu bem, mas na verdade, para que você veja que posso ser bonita apesar de tudo

Eu finalmente achei que iria crescer

Que esse caminho não tinha volta

Que, mesmo com as necessidades reais, tinha me tornado uma mulher

Agora entendo o que me dizia, o regresso não é fácil

Saber que não faz parte daquilo, e permanecer, é um teste de sanidade

Voltei a esconder o que sou, pecar em segredo

Aqui a doçura é forçada e sorrisos são acessórios que me obrigo usar

Analiso palavras

Vejo que pouco construi para mim

Em 10 anos quis muitas coisas, mas não consegui nenhuma

Tento descobrir de onde vem a falta de empenho, o por quê do meu fracasso

A culpa é só minha

O cansaço me consome na primeira tentativa

Sim, eu quero o que é fácil

Sem passar horas me exercitando, ou estudando

Mas que droga de personalidade é essa?

Vejo meus deficits, sinto meus deficits

Sinto muito por mim mesma

Esta semana que estou em casa tenho evitado refletir

Todos dizem que eu penso demais, e que talvez isso seja um erro, algo da minha personalidade que não pretendo mudar, é algo que faz  com que eu seja única

Mais uma vez estou aprendendo a não ver erros como erros

Se quero o direito de ser exatamente como seu, porque os outros não teriam esse mesmo direito?

Porque tanto conflito?

Esse tema me veio a mente ao assistir escondida uma das séries do meu pai, chamada Swingtown

Obviamente o assunto me atraiu, mas a palavra hipócrita não deixa de pairar em minha mente

Meus pais, que sempre tentaram me afastar de todo “pecado”, drogas, sexo, uma vida livre… assistindo um seriado que propõe exatamente isso, uma maneira mais leve de enfrentar o que é natural na vida, os instintos, sem preconceitos…

E então o conflito começou, os mesmos adultos, que se divertiam sendo eles mesmos, repreenderam a filha mais velha por estar seguindo o próprio caminho, crescendo tanto intelectualmente quanto emocionalmente, e sexualmente…

Porque tanto medo?

Porque nos protegem tanto?

Não há nada, nada que nos afaste de nossos instintos, daquele impulso de sermos únicos, especiais

Porque as coisas não podem simplesmente seguir sua ordem natural?

Porque não podermos ser amigos antes de qualquer coisa?

O “ideal” de família feliz seria muito mais verdadeiro se nos respeitassemos mais, ao invés de seguirmos ou obrigarmos os outros a seguirem  passos que não são nossos

Não, não somos livres

Se não são os pais, é a sociedade, a religião, a moral…

Vivemos presos dentro de uma série de regras, cujo sentido eu compreendo, mais ainda não tenho maturidade suficiente para criar um estilo de vida que permita todos serem livres sem que machuquem uns aos outros

Sim, as leis existem para que não saiamos às ruas nus, nos estapeando porque essa era nossa vontade naquele momento

E a religião existe para nos afastar de questões que são difíceis demais para lidarmos enquanto humanos, para nos polpar das conseqüências de uma vida sem regras

Não sei mais no que acredito, nem qual a conseqüência disso

Nem por quanto tempo fugirei dos meus conflitos

Buscando um decanso mental que acredito nunca ser capaz de alcançar

Porque talvez o instinto humano nos obrigue a isso… sempre pensar no próximo passo…

Só consigo pensar que a busca por liberdade é um assunto recorrente em minha mente

Buscando sempre agradar a todos, e um pouquinho a mim mesmo

Sei que estou errada

Mas não sei como mudar, nem como me sustentar sozinha

Essa busca começou a muito tempo… e está longe de terminar

As vezes fico assim

Parada

Olhando as palavras

Tão familiares

Tão estranhas

Por mais que a sinta, sua aparência sempre muda

São lindas

Únicas

Como o pôr-do-Sol que assisti ontem da janela de meu quarto e que me faz amar cada vez mais o outono

Como a luz que bate agora em meu teclado, refletindo milhões de pequenas estrelas que eu nunca havia enxergado

Um mundo de surpresas

E nós presos em amarras masoquistas

O medo é algo aterrorizante

Tenho medo de quase tudo

Hoje meu medo é nunca estar em paz

Ter sempre este incomodo dentro do peito

Aquele sentimento de que coisas precisam ser mudadas, mas vc simplesmente não sabe o que fazer… ou tem medo

Medo do próximo passo

Medo desse passo piorar tudo

Medo de estar errado

Aconteceu algo que eu temia

Nesses dias não encontrei respostas, nem soluções, nem conheci olhar pra dentr de mim

Não me conheci, embora tente me amar com todas as forças

Eu não quero um começo, quero um agora que faça sentido

Mais tempo para respirar

Mais verde

Mais cheiro de incenso

Mais sensação de frio

Coração mais alegre

Ajudar os outros… ajudar de verdade… tocar lá dentro… proporcionar uma riqueza que não pode ser dimensionada em números

Não quero que a rotina se impregne em mim novamente

Não quero passar tempo demais no subsolo

Não quero voltar a fumar

Quero ser livre

Livre de mim mesma

Livre de preconceitos

Livre de qualquer medo

Talvez essa sempre tenha sido minha busca…

Rebelde muitas vezes… sim… faz sentido… talvez seja da minha personalidade… simplesmente não querer seguir coisas que não fazem sentido

Não quero que ninguém decida nada por mim… essa responsabilidade é minha

Mas quero uma luz, alguma certeza no meio desse turbilhão

Temos muitos porques pro cenário que hoje se apresenta… estou mais preocupada com as soluções… ser feliz… ser completa… completamente louca, feliz, inteira, clichê… feliz

can’t you see? could be one or maybe three
mr. confusion, make a move
mr. confusion, make a move
can’t you see? only truth will set you free
mr. confusion, make a move
mr. confusion, make a move

the love you want
will make your heart feel cold
you think you got it
but all you’ve got is a hole
inside your heart
the truth is there to be told
so try to stop
stop breaking hearts
stop hurting souls
it’ll hurt yourself

Mr. Confusion – Beeshop

Não sei bem como expor tudo o que tem acontecido comigo nas últimas semanas

Me vi 3 vezes olhando para o teto da sala de emergências do hospital, sufocada, aterrorisada, braço em chamas

Até os mais leigos diriam: coitadinha, infartou aos 25 anos… também, com aquele trabalho estressante e o vício por cigarros…

Mas não, eu não infartei…

E parti pra algo que disse que não faria nunca mais: fui ao psiquiatra

Não surpresa, o mesmo me diz que minha minhas palavras são como descrição de um livro, cujo título é: PÂNICO

Sim queridos, fui pega… após anos e anos engolindo stress e ansiedade… comendo compulsivamente para preencher um vazio que nem eu sei de onde vem

E mais uma vez sigo sem entender

Diferente de minhas patologias anteriores, não tenho lido a respeito… não quero sentir mais do que já sinto… só sei que é assim… como você não toma cuidado, seu corpo encontrou uma forma de dizer que não dá mais… chegou a hora de descansar, relaxar de verdade e repensar todas as coisas que vc tem deixado para um depois que nunca chega

Por enquanto a única coisa que ainda faço é ficar tensa 24 horas por dia, aguardando que qualquer sinal de dor no meu corpo me faça enlouquecer ou acreditar que estou morrendo, e me segurando para não cair de boca na caixa de calmante faixa preta que está no meu armário

O mecanismo mental que tenho utilizado quando percebo que algo me deixa ansiosa é o seguinte: preciso resolver isso agora? (em todas as vezes a resposta foi não) Então afasto o pensamento me focando no que estiver fazendo no momento ou pensando em uma linda noite de amor kakakakakakakakakaka

Tá, vou confessar, to cagando de medo de voltar a trabalhar e ver as 40 pessoas da minha sala me olhando como se fosse um ET, ou uma folgada que não aguenta um stressizinho e por isso ficou 2 semanas em casa… espero sinceramente que todos os antidepressivos façam efeito até lá e eu esteja louca (e surda) o suficiente para se importar somente com o meu bem estar e felicidade

Se bem que, se eu fosse uma dessas pessoas corajosas, ia direto no RH e nunca mais pisava naquele lugar

Sim, é muito fácil culpar algo pelo desastre total… e eu sei que é a minha reação às coisas como são que me trouxe à situação que tenho que enfrentar hoje, mas meus questionamentos quanto à escravidão em troca de nada são bem anteriores a toda essa bagunça

E sendo totalmente honesta, estava numa fase ótima da vida, super aplicada na dieta, na corrida e no sexo casual… ou seja, em ser o que eu sempre quis (kakakakakaka… não, não é ser uma prostituta).

O fato é que em 25 anos eu mal me conheço… e não me venham com essa de que por mais que vc se conheça sempre há mais a saber… eu sinto que não sei o básico, que simplesmente tenho passado pela vida, que sou uma pessoa sortuda indo de lugar nenhum pra nenhum lugar…

Não quero colocar ainda mais cobranças sobre mim, mas o ideal seria utilizar essa semana para refletir… não fugir como tenho feito até agora… sei lá… meditar… fazer yoga… desenhar… escrever… e ser sincera comigo mesma…

Sim, tem sido uma caminhada dificil… mas hoje pintei minhas unhas de rosa e passei cobertura matte, então estou particularmente feliz por agradar a mim mesma enquanto assistia a 6 horas de O Senhor dos Anéis… tentando eleger uma cena favorita e vibrando por vergonhosamente nunca ter percebido que a árvore que quero tatuar estava na armadura de Faramir durante todos esses anos

Ver Gandalf discursar bem na minha cara “Now you have to decide what to do with the time that was gived to you” é um tapa na cara… e dá tristeza ver a união deles, a beleza dos povos, e que eles tinham pelo que lutar… e eu.. eu não sei pelo que quero lutar

Tenho medo de ficar que nem moribunda, dopada de antidepressivos, e perder milhares de oportunidades de ser feliz… mas não tem como saber… e só pensar nisso já gera um grau de ansiedade que não necessito…

um dia quente
com cheiro de mato
uma estrada de barro
uma varanda
risos
cantar zezé di camargo

Bastaria por enquanto…rs

E tem sido assim

Entre tantas confusões e excitações finjo que nada há de errado

A vida a isso, e isso é normal

Mas fai muito tempo que parei de pensar no que devia e fiquei obsessiva por outras coisas

Eu não encaro de frente, apenas pego atalhos, sonhando que lá no fim a dor desapareça

E o buraco continua aqui

E aquele sentimento de inferioridade por causa da humilhação

Estou aprendendo a julgar menos

A criar minhas próprias verdades

E que não preciso ser forte o tempo todo

Me tocando e me entorpecendo em troca de um pouco de paz ou do fim da lucidez

Beirando o colapso

Convencida de que paciencia tem limite

De que eu não sou descartável

De que eu faço mais do que o suficiente pra que o destino faça sua parte

Eu não quero mendigar

Só quero ser perfeita em meus erros

Só quero mãos em minhas costas

Seu cheiro

Suas promessas erradas

Que seja assim…

Vou me perder mais um pouco… pois já cancei de me achar…

Sabe aqueles sentimentos que você guarda por muito tempo na esperança que desapareçam?

No fundo, você sabe que não deveria esconde-los

Mas é mais fácil assim

E o medo de arriscar um erro é menor do a esperança de que você se adapte à “vida como ela é”

Pois bem… fique atento, mais dia menos dias você puxa o próprio tapete

Seria caguete?

Pior do que questionar cada ato ou decisão, é não ter a chance de o fazer

Parece batido dizer que a vida muda após o encontro com a morte, mas mais uma vez só mostra o quão pouco controle temos

Continuo com medo

Principalmente medo de continuar acomodada

E de saber que daqui a 1 segundo posso morrer

Deitada na maca do hospital vi que pouca coisa valeu a pena

Que tenho me arrastado pelos dias, fatos, escolhas

Apenas aguardando a fada-madrinha ler meus pensamentos… assim como fazia no ápice da minha depressão

Só repetia “eu não quero morrer”

E mais do que isso

Eu quero viver

Viver em abundância

Viver com qualidade

Viver feliz

Viver sem stress

Só que ainda não descobri como fazer isso

Sinceramente

Necessito de uma reviravolta bem planejada

Um mergulho de autoconhecimento talvez nunca realizado

Não sei por onde começar…

Como realmente sou…

O que realmente quero…

Do que realmente gosto…

Quais são minhas prioridades…

Se pudesse, tomaria mais 2 comprimidos de Vallium…

Vou precisar pra continuar essa viagem… viagem sem volta… não quero ter medo da morte… porque preciso acreditar que ela está longe demais pra me pegar

Deixo aqui um pedaço de mim. A parte da minha alma que já não posso suportar. Alguns anseios, alguns medos, algumas vergonhas. Utilizo minha sinceridade e nada mais. Não sou mais uma, mas estou perdida na cidade. Às vezes saio de carro, corro e canto. Às vezes me perco na noite, e nada mais sou do que inominável. Continuarei até que eu me permita sentir algo. Quando sentir for mais que uma dor. Quando a dor não se transformar em prazer. Quando...

Leituras

- A Insustentável Leveza do Ser - Milan Kunder - Eclipse - Stephenie Meyer

E-mail

t.sweetepiphany@gmail.com